sexta-feira, 30 de março de 2018

O REI E A RAINHA

Nessa pista de dança
Nós somos o destaque
Somos a marca e a herança
O rei e a rainha

Não precisamos nos esforçar
Você possui toda a delicadeza
De um membro da realeza
Alguém que nasceu para reinar

Seu vestido diz tudo
O azul combina perfeitamente
Com o tom ruivo
E a maciez dos seus lábios

Passos lentos, guiando para o centro
Tudo parece estonteante
Uma chama me queima por dentro
Seria isso o amor?

Nós estamos afundando, mergulhando
Tudo parece tão ofuscante
Como se estivéssemos brilhando
Sim, somos a própria luz

Segure minha mão
Eu não vou soltar
Esqueça a multidão
Eles não podem nos parar

Fora dali podemos ser invisíveis
Mas naquele baile, naquela noite
Éramos governantes invencíveis
O rei e a rainha em nosso próprio reino






quarta-feira, 28 de março de 2018


UM MUNDO MAIOR

Essa garota veio de uma cidade sem nome
Onde as sombras crescem
E as luzes do sol se esvanecem
E ninguém tem esperança

Ela escuta canções novas
E  coleciona olhares dispersos
Folhas caindo e um céu imerso
Que promete que a levara para longe
  
Ela lê sobre velhos e novos autores
Páginas e páginas de eternos romances
As promessas de uma chance
Em algum lugar, algum lugar

Ela lê para viver mil vidas
Enquanto tenta aproveitar a sua única
Caminhando e caminhando em sua própria mágica
Além desse mundo pequeno demais

Sim é um mundo pequeno para ela
Um mundo tão pequeno para ela
Ela quer algo que seja só dela
Uma realidade de um mundo maior

Não existem limites nesse novo mundo
Tantas pontes quanto um livro pode construir
Quanto às palavras podem reconstruir
Nos vazios que ela tenta preencher

Ela continua andando, andando
Mesmo que digam que não tem futuro
Querem que ela construa muros
Mas ela apenas quer fugir

Fuja, fuja, fuja
Suas páginas são seu transporte
Um passaporte para além do norte
Para longe daqui

Sim é um mundo pequeno para ela
Um mundo tão pequeno para ela
Ela quer algo que seja só dela
Uma realidade de um mundo maior

Então ela aumenta sua música
E abre o primeiro exemplar
Para fugir daquele lugar
E entrar em um mundo bem maior

segunda-feira, 26 de março de 2018

O QUE EU NUNCA SEREI


Sabe o que me machuca, machuca?
Que eu nunca serei a filha perfeita
Eu sei, não é um fato omisso
Faz muito tempo que sei disso

E por muitas vezes chorei
Mesmo que sem lágrimas
Eu escondi e solucei
Mas não deixei que visse

Eu era uma boneca quebrada
Porcelana, impossível de se consertar
Eu nunca serei como as outras
Tentei até não agüentar

Queria ser uma menina forte
Queria ser uma lutadora corajosa
Queria falar sem que meu coração tremesse
Queria que alguém me entendesse

Eu queria ser bonita
Ser especial, delicada
Mas sou apenas uma alma calada
Tentando inutilmente ser alguém

Queria ser o sol
Mas sou apenas um floco de neve
Ao menos o calor de um cachecol
Mas sou apenas fria, fria

Desejava ser inteligente
Apenas parar de fugir de tudo
Ser uma biblioteca gigantesca
Mas sou um capitulo escrito de forma grotesca

Eu queria ser o tudo
Aproveitar um imenso mundo
Mas toda essa grandeza está apenas
Encurralada na minha mente

Desejo ser tantas coisas
Que jamais poderei ser
Não há como fugir, vencer
Essa sou eu

domingo, 25 de março de 2018

PALAVRAS

Eu sempre tive problemas com as palavras
Elas eram as lanças que me feriam
E os braços que me acolhiam
Lágrimas com um sorriso incompleto

Um quarto e um fone de ouvido
Com músicas tristes fluindo abafadas
Elas não pareciam mais estagnadas
Elas eram parte de mim

Ao lado de uma caneta
Com um papel branco nas mãos
Eu poderia afastar toda a solidão
Que sentia cada segundo, cada segundo

Queria abrir os olhos
E ver que tudo aquilo era real
Que cada pedaço fictício e surreal
Era meu novo presente

E então eu olhava para a lua
Por trás da cortina que balançava
E me encolhia e soluçava
Tentando ignorar toda a dor

Queria que uma estrela
Pudesse atender um singelo pedido
Palavras que meus dedos haviam proferido
Sobre um céu de sonhos

As palavras são minha companhia
Elas são o que meus lábios calam
O sopro de emoções que dançam
Agora apenas para mim, para mim

Há um constante nó no meu peito
E eu me sinto tão despedaçada
 Carregando palavras abandonadas
E construindo castelos que se quebrarão

Eu continuo olhando pela janela
Poemas sangrando pelas frestas
Desenhando tudo que me resta
Tudo que o vazio deixou

Jamais irei encontrar alguém como você
Mas tudo que me resta é escrever
Tentar com todas as forças me convencer
Que posso sobreviver longe de você

Palavras, apenas e apenas palavras
É a minha única maneira de expressar
O que meu coração não pode suportar
Estar  mais uma aurora longe de você

Palavras que me ferem e reconstroem
Espero que possam passear
Pelo céu, na estrada ao luar
Para mostrar-te meu amor



sexta-feira, 23 de março de 2018

SAPATILHAS


A ponta do meu pé toca o chão
Eu sinto suavemente a pressão
Para o meu corpo se sustentar
E um sorriso me alentar

Seguro-me em minha confiança
Sobre o palco confidencio uma aliança
De permanecer, de brilhar
Mesmo que esteja a beira de desabar

A roupa parece voar
Com o sopro da brisa, rodar
Eu sou fraca, mas me sustento
Mesmo com um leve estremecimento

Dou alguns passos, sigo a batida
De uma música suave de tristeza e vida
Incorporo o som e seus gestos
A sonoridade mutua de um adeus modesto

Despedida e presença, chegada e partida
Flutuo sobre o chão ligeiramente abstida
Engasgada por luzes que remetem o amanhecer
Rosáceo e partido, um belo enaltecer

Aproprio-me de movimentos mais rápidos
Meus dedos sentem um toque acido
Da sapatilha rasgando o chão cinzento
Um lamento rápido e sedento

Giro apoiando-me no vento
Batidas cardíacas em um constante aumento
Estilhaçada pela liberdade da dança
Sinto-me felicita como uma criança

O violino parou de tocar
Minha sapatilha enfim pode parar
Ainda estou agitada, repartindo respirações
Tocada por novas inspirações

Sou tocada por aplausos profusos
Mesmo insegura, com pensamentos confusos
Consigo acenar e sentir
Que mesmo incerta, o melhor está por vir

quinta-feira, 22 de março de 2018

COMO É SER TÍMIDA?

Se você é uma pessoa extrovertida, provavelmente não faz a mínima ideia de como funciona a mente e o coração de um tímido. Se você é um tímido, talvez se identifique.
Bem, eu sou tímida.
Eu sempre fui.
Desde que me lembro, pelo menos.
Eu já deixei de falar com muitas pessoas, ignorei muitas outras. Não por raiva, não por aversão. Nada disso. Apenas não me sentia segura o bastante para tomar atitude e tomar o controle de uma conversa. E se você for uma dessas pessoas, gostaria de me desculpar. Não é voluntário.
O silêncio é quase como um impulso. Meus olhos podem cair sobre alguém, posso fixar minha atenção nos detalhes de sua conversa, na movimentação dos lábios e nas risadas. Uma parte de mim, alguma parte, pensa profundamente em caminhar até o grupo e puxar um papo, em falar. Mas assim que você perceber minha presença, isso desaparece.
Transforma-se em uma espécie de pânico.
Meus olhos se depreendem e voltam para o solo. O chão parece ser a única coisa capaz de sustentar meu olhar. Nesse momento, um turbilhão de pensamentos atinge minha mente com a força de um míssil.
E se eu disser algo errado?
E se ele me achar estranha?Esquisita?
Eu apenas leio. Como posso entrar em um grupo que fala sobre moda e cultura?
Eu tenho que encarar enquanto falo? Mas encarar demais não é errado? E olhar de menos não parece certo também...
Qual é o momento certo de falar?
Como entrar sutilmente em uma conversa?
Eu poderia até falar sobre aquela banda, mas isso é tão idiota...
Será que todos estão olhando para mim agora?
O ar parece falhar por um segundo. Eu recuo lentamente, buscando conforto em alguma parede. Encostar, suspirar novamente, encarar o chão, um livro, minhas mãos.
E isso não acontece apenas em conversas ou eventos sociais. Encontrar um grupo na escola? Acho que isso não aconteceu no meu ensino médio. Em nenhuma das etapas escolares na verdade.
Música. Solidão. Livros. Cadernos.Canetas. Parede. Chão. Acho que esse é quase um resumo completo de todos esses anos.
E como uma garota tímida, com poucas palavras e olhares distantes, poucas pessoas tiveram a chance de marcar minha vida. Poucas pessoas puderam fazer parte dela.
Não é fácil quebrar a barreira da timidez. Não é fácil para mim trocar a primeira palavra, o primeiro diálogo. Não é fácil sorrir normalmente, sem se importar com o som. Não é fácil compartilhar meus momentos favoritos.
Se eu cheguei a fazer alguma dessas coisas é porque confiei em você.
E eu te agradeço por isso.
Esse é meu jeito. Trocar as palavras faladas pelas escritas. Demorar anos para encontrar um amigo. Manter o silêncio na maioria das situações. Encarar, sem conseguir dizer uma palavra. Tentar manter uma conversa linear sem tropeçar nas frases. Ter um milhão de pensamentos na cabeça, sem encontrar confiança suficiente para encontrar a saída.
Viver a vida com poucos diálogos.
E em algumas fissuras da muralha dos meus lábios, encontrar pessoas que são capazes de transformar essas brechas no meu mais novo sorriso.



quarta-feira, 21 de março de 2018

AMAR É COMO...


Amar é como ficar embriagado, cambaleante em um sentimento poderoso  que te derruba e te domina.
Amar é como estar viciado, sedento por uma companhia que você precisa e que retribui.
Amar é como ser amiga e inimiga do tempo. Cinco minutos podem parecer eternos quando quem se ama está ausente e pouco quando ela está presente.
Amar é como sorrir. É aquela sensação boa de enrugar os cantos do lábio e sentir que a felicidade real existe.
Amar é como estar feliz. Feliz por ter recebido aquela ligação calorosa no fim da tarde estressante, por receber um presente no dia dos namorados. Feliz por correr na rua para abraçar a pessoa.  Por ter alguém para retribuir aquele sentimento.
Amar é como fazer planos. Fazer planos daquela viagem no fim do ano. Planos de acordar de manhã cedo e presentear o amado com um café na cama. Planos de simplesmente pegar o elevador de mãos dadas.
Amar é como dançar. Dançar colado, sentindo o coração do amado batendo como se fosse ao seu próprio peito. Dançar errando os passos, mas não sentindo que tem nada errado. Um tropeço em uma música pode se tornar uma ótima chance de roubar um beijo.
Amar é como correr. Correr para poder se despedir no aeroporto. Correr para chegar mais cedo em casa e poder ficar alguns minutinhos a mais com a pessoa. Correr para poder surpreender. Correr para poder encontrar.
Amar é como ouvir uma musica. Não, não qualquer música. Sua música favorita. Aquela música que você escuta todos os dias, mas não se cansa. Você não cansa de ouvir, não cansa de amar, de ouvir sua voz.
Amar é como cair. Cair na armadilha do amor e ficar por lá mesmo. Cair nos braços do outro em uma noite de tempestade. Cair no sono, mas se sentir seguro, pois braços de acolhem como um cobertor na madrugada.
Amar é como levantar. Levantar em uma manhã de domingo e ter um dia de folga. Levantar depois de uma queda, pois tinha alguém segurando seus dedos.
Amar é como ser imperfeito. Como aceitar as falhas do outro, sua humanidade. Aceitar o outro com suas manias, trejeitos e medos. Um aceitamento recíproco, leve.
Amar é como aproveitar os dias de chuvas. Os dias sem sol, ruins, molhados.
Amar é como lutar. Lutar pelo que acredita, pelo seu amor, por sua razão de amar.
Amar é como acreditar. Acreditar em dias melhores, em uma nova chance. Acreditar nessa paixão. Acreditar que passará os melhores anos com a pessoa que ama ao seu lado.
Amar é como o inexplicável. É ter tanto para falar, mas não conseguir explicar, É não encontrar palavras para se dizer o quanto se ama, encontrando nos beijos e nos toques do outro, na brevidade, palavras para o que não consegue formular.
Amar é como... Simplesmente e complexamente amar.